… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

9 de fevereiro de 1654 • João Ferreira de Almeida termina a tradução do N. T. em português

9 de fevereiro de 1654 João Ferreira de Almeida termina a tradução do N. T. em português


Frontespício do Novo Testamento,

tradução de Ferreira de Almeida

João Ferreira Annes d'Almeida, ou como outros Joões, pode aparecer escrito de modo mais arcaico, como Ioaõ Ferreira Annes d'Almeida ou Yoam Ferreira Annes d'Almeida, é uma das mais importantes personalidades do cristianismo protestante português, e da "portugalidade",  especialmente conhecido por ter traduzido a Bíblia para a língua portuguesa, já que é a tradução da Palavra de Deus que tem o seu nome a que é usada em todo o mundo por todos os protestantes falantes da pátria portuguesa, no dizer poético de Pessoa «A minha pátria é a língua portuguesa».

João Ferreira de Almeida é escritor de língua portuguesa mais editado em toda a história da língua portuguesa, chegando ao número de 150 milhões os exemplares impressos.



Filho de pais católicos, Almeida nasceu na localidade de Torre de Tavares, Várzea de Tavares, concelho de Mangualde, em Portugal em 1628 e morreu em Java, na Indonésia, em 1691. Ficou órfão ainda em criança e veio a ser criado na cidade de Lisboa por um tio que era membro de uma ordem religiosa. Pouco se sabe sobre a infância e início da adolescência de Almeida, mas supõe-se que teria recebido uma excelente educação visando a sua entrada no sacerdócio católico. Não se sabe o que teria levado Almeida a sair de Portugal mas talvez isso se devesse à forte influência exercida pela Inquisição em Portugal. Viajou para a Holanda e, aos 14 anos, embarcou para a Ásia, passando pela Batávia (actual Jacarta), na ilha de Java, Indonésia. Naquela época, Batávia era o centro administrativo da Companhia Holandesa das Índias Orientais, no sudeste da Ásia.



Ao velejar entre Batávia e Malaca, na Malásia, Almeida, aos 14 anos de idade, leu um folheto protestante, em espanhol, intitulado “Diferencias de la Cristandad” (Diferenças da Cristandade). Este panfleto atacava algumas das doutrinas e conceitos católicos, incluindo a utilização de línguas incompreensíveis para o povo comum, tal como o latim, durante os ofícios religiosos. Isto provocou um grande efeito em Almeida sendo que, ao chegar a Malaca, ter-se-á convertido, congrega-se à Igreja Reformada Holandesa, em 1642, e dedicou-se imediatamente à tradução de trechos dos Evangelhos, do castelhano para o português.



João Ferreira de Almeida é um dos maiores vultos da literatura e da história portuguesa. Apesar de passar quase toda a sua vida fora de Portugal, ao serviço dos holandeses, Almeida não esqueceu as suas origens e gentes, antes revela um amor apaixonado pelo povo de Portugal e pela língua portuguesa, e ocupa a maior parte da sua vida a traduzir a Bíblia para a língua portuguesa com a convicção profunda que esta era “A maior dádiva e o mais precioso tesouro” que o povo pode ter nas suas mãos.



Almeida começou muito jovem, com 15, ou 16 anos, venceu oposições e obstáculos, e persistiu tenazmente na sua grandiosa tarefa até à sua morte. Pode dizer-se que morreu debruçado sobre o texto bíblico, visto que ia com a tradução no livro do Profeta Ezequiel em 48:21, quando morreu.



Homem com um ministério, multifacetado: visitador de doentes, diácono, ensinador, pregador, pastor, escritor e o mais importante, tradutor da Bíblia para a língua portuguesa. Tornou-se um intelectual ao serviço de Deus, dominava sete línguas e tinha conhecimento profundo dos escritos dos reformadores e das doutrinas da Igreja Católica Romana, a quem declarou guerra sem quartel, tanto nos seus escritos como em debates. Tanto incomodou os papas romanos que não podendo caçá-lo na malha da inquisição, queimaram a sua efígie em Goa, declarando-o como herege.



A sua obra mais notável, foi a tradução da Bíblia para a língua portuguesa, primeiro o Novo Testamento que ele termina neste dia, 9 de fevereiro de 1654, e depois o Antigo Testamento que só a morte em 6 de agosto de 1691, o impediu de concluir.



Pelos efeitos que a palavra de Deus produz nos que a lêem e investigam, inclusive a salvação, o conhecimento de Deus e os relacionamentos fraternais e (isto tem acontecido com milhões que usam a Bíblia em língua portuguesa) é impossível avaliar ou contabilizar a grandeza da obra feita por João Ferreira de Almeida! Não teve grandes honras aqui na Terra, principalmente em Portugal, mas será certamente um dos grandes no Reino de Deus.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: