… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 12 de maio de 2017

12 de maio



C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
12 de maio

“Não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação. E descerei contigo ao Egito, e certamente te farei tornar a subir.” (Gn 46:3-4, ARC, Pt)

Jacob deve-se ter estremecido ao pensar que teria de deixar a terra da peregrinação de seu pai e habitar entre estrangeiros pagãos. Este era um novo cenário e provavelmente seria penoso. Quem se arriscaria a estar entre os cortesãos de um monarca estrangeiro, sem ansiedade? Nesta ocasião, o caminho estava, evidentemente, designado para ele, e, por esse motivo, ele decidiu ir. Esta é frequentemente a posição dos crentes na atualidade: são chamados a perigos e tentações sem terem sido provados. Em semelhantes ocasiões, eles devem imitar o exemplo de Jacob, oferecendo sacrifícios de oração a Deus e procurando a Sua direção; que eles não dêem um só passo até que tenham estado aguardando a bênção do Senhor. Então, eles terão o companheiro de Jacob como amigo e ajudador. Que bênção é sentir a segurança de que o Senhor está connosco em todos os nossos caminhos, e que condescende descer connosco nas nossas humilhações e desterros! Até além do oceano o amor do nosso Pai irradia alegria como o Sol em toda a sua força. Não podemos vacilar em ir aonde o SENHOR promete a Sua presença. Até o vale da sombra da morte brilhará com o esplendor desta certeza. Em marcha para a frente, com fé no seu Deus, os crentes terão a promessa de Jacob. Eles voltarão outra vez, quer seja dos problemas da vida, quer das câmaras da morte. A semente de Jacob saiu do Egito, no seu devido tempo; e, deste modo, deverão todos os fiéis passar sãos e salvos pela tribulação da vida e pelo terror da morte. Que exercitemos a confiança de Jacob. “Não temas” é a ordem do SENHOR e o Seu divino encorajamento aqueles que, obedientes à Sua exortação, estão entrando em novos mares. A presença e o resguardo divinos impedem-nos de temer tanto como o faria um incrédulo. Sem o nosso Deus, temeríamos mover-nos; porém, quando Ele nos ordena que o façamos, seria perigoso ficar. Leitor, avança e não temas.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: