… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 27 de julho de 2017

27 de julho



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
27 de julho

“As santas e fiéis bênçãos de David vos darei.” (Atos 13: 34, ARC, Pt)

Do homem nada é certo; mas de Deus tudo o é. Especialmente, as misericórdias do concerto são misericórdias certas, precisamente como David disse que "um concerto eterno, que em tudo será bem ordenado e guardado."



Temos a certeza de que o Senhor quis dizer a Sua misericórdia. Ele não falou meras palavras: substância e verdade em cada uma das Suas promessas. As Suas misericórdias são, de facto, misericórdias. Mesmo que uma promessa pareça que não se cumprirá por causa da morte, deixará de cumprir-se, porquanto o bom Senhor cumprirá a Sua palavra.



Temos a certeza de que o Senhor concederá as misericórdias prometidas a todos aqueles que estão sob o pacto. Elas chegarão, no seu devido tempo, a todos os escolhidos do Senhor. Elas cumprir-se-ão para toda a posteridade, desde o mais pequeno até ao maior dela. Temos a certeza de que o Senhor continuará as Suas misericórdias para com o Seu povo. Ele não dá e tira. O que Ele nos tem dado é o sinal de muito mais. Aquilo que ainda não recebermos está tão certo como o que já nos foi dado; portanto, esperaremos diante do Senhor e fiquemos tranquilos. Não há nenhuma razão que justifique a menor dúvida.



O amor, a palavra e a fidelidade de Deus são certas. Muitas coisas são duvidosas, mas do Senhor cantamos–



“Pois as Suas misericórdias perdurarão

Sempre fiéis, sempre certas.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: