… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

16 de agosto


C. H. Spurgeon
“Leituras Vespertinas”


16 de agosto

“Nós mesmos, que temos as primícias do Espírito.” (Rm 8:23, ARC, Pt)

A possessão presente é declarada. Neste momento temos as primícias do Espírito. Temos o arrependimento, aquela joia de primeira água, a fé, a pérola de grande valor, a esperança, a esmeralda celeste, e o amor, o rubi glorioso. Nós já estamos feitos “novas criaturas em Cristo Jesus”, pela obra eficaz de Deus, o Espírito Santo. Isso é chamado de primícias, porque vem em primeiro lugar. Assim como o mover do molho era a primeira coisa que se fazia na sega, assim também a vida espiritual, e todas as graças que enfeitam essa vida, são as primeiras operações do Espírito de Deus nas nossas almas. As primícias eram o penhor da ceifa. Logo que o israelita tinha arrancado a primeira mão-cheia de espigas maduras, ele olhava para o futuro na antecipação feliz do momento em que a carroça deveria ranger sob o peso dos feixes. Então, irmãos, quando Deus nos dá coisas que são puras, amáveis e de boa fama, como obra do Espírito Santo, estas são para nós os prenúncios da glória vindoura. As primícias eram sempre consagradas ao Senhor, e a nossa nova natureza, com todos os seus poderes, é uma coisa consagrada. A nova vida não é nossa, para que devamos atribuir a sua excelência ao nosso próprio mérito, é a imagem e da criação de Cristo, e é ordenada para a Sua glória. Mas as primícias não eram a ceifa, e as obras do Espírito em nós neste momento não são a consumação—a perfeição ainda está por vir. Nós não devemos vangloriar-nos que a temos alcançado, e assim supor que o molho movido era a totalidade da produção da ceifa do ano: nós temos fome e sede de justiça, desejamos ansiosamente o dia da redenção completa. Caro leitor, esta noite abre muito a tua boca, e Deus irá cumulá-la. Deixa que a bênção da presente possessão incite em ti uma avareza sagrada por mais graça. Desejando com ansiedade dentro de ti mesmo por graus mais elevados de consagração, e o teu Senhor ta concederá a ti, porque Ele é capaz de fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos (Ef 3:20, ARC, Pt).

Tradução de Carlos António da Rocha

*** 
 
Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: