… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

28 de agosto


C. H. Spurgeon

Leituras Matutinas

28 de agosto

Azeite para a luz.” (Êx 25:6, ARC.Pt)

Minh’alma, quanto necessitas disto!, pois a tua lâmpada não continuará iluminando por muito tempo sem azeite. Se a luz desaparecer, e desaparecerá se não houver azeite, o morrão deitará fumo, e este dará mau cheiro. Tu não tens um manancial de azeite brotando da tua natureza humana, portanto, tens de ir aos que o vendem e comprá-lo para ti, ou, à semelhança das virgens loucas, terás de dizer: “A minha lâmpada apaga-se.” Até as lâmpadas consagradas não podiam dar luz sem azeite. Se bem que elas resplandecessem no tabernáculo, tinham de ser alimentadas; como nenhum vento forte soprava sobre elas, tinham de ser avivadas; e tu necessitas disto em grande maneira. Até sob as circunstâncias mais felizes tu não podes dar luz durante uma hora mais, a não ser que recebas uma nova provisão de azeite.

Não se podia usar qualquer azeite no culto do Senhor. Não se aceitava nem o petróleo que se extrai das entranhas da terra, nem o óleo de peixe, nem o das nozes. Um só azeite era o escolhido: o melhor azeite de azeitonas. Nem a pretendida graça da bondade natural, nem a imaginária graça das mãos sacerdotais, nem a fantástica graça das cerimónias exteriores, servirão ao verdadeiro santo de Deus. Ele sabe que Deus não ficará satisfeito nem mesmo com rios de semelhante azeite. Ele vai ao moinho de azeite do Getesêmane e toma as suas provisões da mão dAquele que ali foi quebrantado. O azeite da graça evangélica é puro e está livre dos sedimentos e borras, daí que a luz que produz seja clara e brilhante. As nossas igrejas são os candelabros de ouro do nosso Salvador, e se hão de ser luzes num mundo de trevas, têm de ter este santo azeite. Oremos por nós, pelos nossos pastores e pelas nossas igrejas, com o fim de que nunca nos falte azeite para a luminária. Verdade, santidade, gozo, conhecimento e amor, tais são os brilhos da luz sagrada, mas não podemos emiti-los a não ser que em privado recebamos o óleo de Deus, o Espírito Santo.

Tradução de Carlos António da Rocha

*** 

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: