… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 24 de setembro de 2016

24 de setembro

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
24 de setembro

“E será que toda a criatura vivente que vier por onde quer que entrarem estes dois ribeiros viverá.” (Ez 47:9, ARC, Pt)

As águas vivas, na visão do profeta, corriam até ao Mar Morto, e levavam vida com elas, inclusivamente para esse lago estagnado. Onde chega a graça, a vida espiritual é a consequência imediata e eterna. A graça procede soberanamente conforme a vontade de Deus, precisamente como um rio em todos os seus rodeios segue a sua própria e boa vontade; e em qualquer parte onde ele chega, não espera que a vida venha a ele, mas vida mediante seu próprio fluxo vivificante. Oh, que a graça se derramasse ao longo das nossas ruas, e inundasse os nossos bairros miseráveis! Oh, que ela viesse agora a minha casa, e subisse de tal forma até alagar cada aposento para que eu tivesse de nadar neles! SENHOR, concede-me que a água viva flua para a minha família e para os meus amigos, e que não passe por alto. Espero que já tenha bebido das suas águas; mas desejo banhar-me nela, sim, nadar nela. Oh meu Salvador, eu necessito de vida mais abundantemente. Vem para mim, isso Te rogo, até que cada parte da minha natureza esteja vividamente enérgica e intensamente activa. Deus vivo, rogo-Te, enche-me da Tua própria vida.

Eu sou um pobre galho seco; vem e faz-me viver de tal maneira que, como a vara de Aarão, possa eu brotar e desabrochar em flor e produzir fruto para a Tua glória. Vivifica-me, por amor de nosso SENHOR Jesus. Ámen.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: