… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

26 de setembro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
26 de setembro   O “VAI” DA RECONCILIAÇÃO

“Se … te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti…” (Mt 5:23, ARC, Pt)

Este versículo diz: “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti ...” Ele não está dizendo: “Se tu esquadrinhas e encontras algo por causa da tua sensibilidade desajustada”, mas, “se … te lembrares …” Por outras palavras, se algo é trazido à tua mente consciente pelo Espírito de Deus— “Vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e, depois, vem e apresenta a tua oferta.” (Mt 5:24, ARC, Pt). Nunca ponhas objeções à intensa sensibilidade do Espírito de Deus dentro de ti quando Ele te está instruindo até ao mais ínfimo pormenor.

“Vai reconciliar-te primeiro com teu irmão …” A ordem oficial de nosso Senhor é simples: “Vai reconciliar-te primeiro … “ Com efeito, Ele diz: “Volta para trás pelo mesmo caminho por onde vieste— o caminho que te foi indicado pela convicção que recebeste no altar; tem uma atitude na tua mente e na tua disposição anímica relativamente àquele que tem algo contra ti que torne a reconciliação tão natural como respirar.” Jesus não menciona a outra pessoa— Ele diz que tu tens de ir. Não é uma questão com os teus direitos. A marca distintiva do santo é que pode renunciar aos seus próprios direitos e obedecer ao Senhor Jesus.

“… E, depois, vem e apresenta a tua oferta.” O processo de reconciliação é claramente definido. Em primeiro lugar a atitude heroica do sacrifício pessoal, depois súbita a exortação pela sensibilidade do Espírito Santo, e em seguida, estamos parados no ponto da nossa convicção. Depois, pela obediência à Palavra de Deus, a qual constrói uma atitude ou estado de espírito que não coloca a culpa na pessoa com quem tu tens estado errado. E, finalmente, há o oferecimento agradável, simples, sem obstáculos da tua oferta a Deus.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: