… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

26 de setembro

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
26 de setembro
“Gemei, faias, porque os cedros caíram.” (Zc 11:2, ARC, Pt)

QUANDO se ouve na floresta o estrondo da queda do carvalho é sinal de que o lenhador está ao longe e nessa circunstância bem pode tremer cada uma das árvores do bosque com medo de que, no dia seguinte, o afiado gume do machado a descubra a ela. Todos nós somos como árvores destinadas ao corte, e a queda de uma deles deve recordar-nos que para cada um de nós em particular, quer seja grande como o cedro ou humilde como a faia, a hora marcada aproxima-se apressadamente, sem aviso prévio. Acredito que nós por ouvimos falar frequentemente da morte não nos tornemos insensíveis a ela. Que nunca sejamos como os pássaros no campanário, que fazem os seus ninhos quando os sinos estão tocando a finados e dormem tranquilamente quando as salvas do solene funeral estão aterrando o ar. Que nós consideremos a morte como o mais importante de todos os acontecimentos e encaremos a sua aproximação com toda a seriedade. Não nos convém brincar quando o nosso eterno destino está preso por um fio. A espada está fora da sua bainha; não brinquemos, pois; a sua folha está polida e é muito afiada, não brinquemos com ela. Aquele que não se prepara para a morte é mais do que um vulgar insensato; é um demente. Quando a voz de Deus é ouvida entre as árvores do jardim, que tanto a figueira como o sicómoro, a faia como o cedro se preparem para ouvi-la.

Procura estar preparado, servo de Cristo, porque o teu Senhor vem subitamente, quando um mundo ímpio menos O espera. Esforça-te por ser fiel na Sua obra, porque o sepulcro logo será cavado para ti. Estai preparados, homens de negócios; procurai que os vossos filhos sejam criados no temor de Deus, porque eles logo podem ficar órfãos; estai preparados, homens de negócios; tomai cuidado para que os negócios sejam correctos e que sirvais a Deus com todo o vosso coração, porquanto os dias do vosso serviço terrestre logo terminarão e vós sereis chamados a dar conta do que tendes feito por meio do corpo, quer as vossas obras sejam boas quer sejam más. Que todos nós nos preparemos para comparecer ante o tribunal do grande Rei com um cuidado que será recompensado com esta recomendação cheia de graça: “Bem está, bom e fiel servo.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: