… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 3 de setembro de 2017

3 de setembro



William MacDonald
Um dia de cada vez
3 de setembro

“Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.” (Rm 5:15, ARC, Pt)

Em Romanos 5:12-21, Paulo contrasta as duas cabeças federais da raça humana, Adão e Cristo. Adão foi a cabeça da primeira criação; Cristo é a cabeça da nova criação. A primeira foi natural; a segunda é espiritual. Três vezes emprega Paulo as palavras “muito mais”, para enfatizar que as bênçãos que fluem da obra de Cristo, superabundam muito mais acima das perdas contraídas pelo pecado de Adão. Está dizendo que “em Cristo, os filhos de Adão ostentam mais bênçãos do que as que o seu pai perdeu.” Os crentes estão melhor em Cristo do que poderiam ter estado se Adão não tivesse caído.

Suponhamos, por um momento, que Adão não tivesse pecado, que em vez de comer do fruto proibido, ele e a sua esposa tivessem decidido obedecer a Deus. Qual teria sido o resultado nas suas vidas? Até onde sabemos, teriam continuado vivendo indefinidamente no Éden. A sua recompensa teria sido uma longa vida sobre a Terra. E isto ter-se-ia comprido certamente na sua descendência.



Enquanto continuassem sem pecar, teriam podido viver indefinidamente no Éden; não teriam morrido.

Mas, nesse estado de inocência, não teriam expectativa de chegar alguma vez ao Céu. Não haveria a promessa de serem habitados e selados pelo Espírito Santo. Nunca teriam chegado a ser herdeiros de Deus e co-herdeiros com Jesus Cristo. Jamais teriam tido a esperança de ser conformados à imagem do Filho de Deus. E, sempre, teriam tido ante si a terrível possibilidade de pecar e perder as bênçãos terrestres que desfrutavam no Éden.

Pensemos, pelo contrário, na posição imensamente superior que Cristo obteve para nós com a Sua obra expiatória. Somos abençoados com toda a bênção espiritual nos lugares celestiais em Cristo. Somos aceites no Amado, completos em Cristo, redimidos, reconciliados, perdoados, justificados, santificados, glorificados e feitos membros do corpo de Cristo. Somos habitados e selados pelo Espírito que é o penhor da nossa herança. Estamos seguros eternamente em Cristo. Somos filhos de Deus, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo Jesus. Estamos tão perto de Deus e somos tão queridos por Ele como o é o Seu amado Filho. E há muito, muito mais. Mas isto é suficiente para mostrar que os crentes estão melhor hoje no Senhor Jesus Cristo do que poderiam ter estado com o inocente Adão.

Tradução de Carlos António da Rocha

*** 

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: