… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

2 de novembro


C. H. Spurgeon

Livro de Cheques do Banco da Fé

2 de novembro

“Não negará bem algum aos que andam na retidão.” (Sl 84:11, ARC, Pt)

O Senhor pode negar-nos muitas coisas agradáveis, mas não nos tirará o “bem”. Ele é o melhor juiz do que é bom para nós. Algumas coisas são indubitavelmente boas, e estas podemos tê-las, desde que as peçamos por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor.

A santidade é boa, e Ele a operará em nós, gratuitamente. Ele, com prazer, nos concederá a vitória sobre as nossas más inclinações, sobre o nosso génio arrebatado e sobre os nossos maus costumes. Devemos ficar satisfeitos por havê-la obtido.

Ele dar-nos-á, além disso, a certeza plena, a comunhão íntima Consigo, a entrada a toda a verdade e a confiança que prevalecerá diante do trono da graça. Se as não temos é porque nos falta fé para as recebermos, e não porque falte a Deus vontade de as dar. A calma, um estado de serenidade celestial, muita paciência e amor fervoroso, tudo isto Ele nos dará, se O buscarmos com santa diligência.

Mas notai que temos de andar “em retidão”. Na nossa conduta não pode haver propósitos fraudulentos, nem comportamentos avessos; nem hipocrisia, nem engano. Se andarmos de modo condenável, Deus não pode favorecer-nos, porque isso seria premiar o pecado. O caminho da retidão é o meio para a riqueza celestial, uma riqueza tão grande que inclui todo o bem.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: