… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

23 de novembro de 1572 • Conversa de John Knox com um amigo na véspera da sua morte



23 de novembro de 1572 Conversa de John Knox com um amigo, na véspera, da sua morte

John Knox (na imagem), nasceu em 1514 em Haddington, East Lothian, na Escócia, foi educado na Universidade de St. Andrews e ordenado sacerdote católico. Entretanto, em 1542, juntamente com muitos outros dos seus contemporâneos, abraçou a fé evangélica.


Em 1547 foi nomeado pregador da guarnição dos soldados protestantes que havia no castelo de St. Andrews, e para la foi. Em julho desse ano a marinha católica alemã assediou o castelo. Os escoceses defenderam-no corajosamente durante quatro semanas, mas o forte acabou por sucumbir e Knox e os outros foram levados para França e postos nas galeras como remadores escravos durante dezanove meses.



Finalmente, ao ser posto em liberdade em 1549, voltou a Inglaterra, onde foi nomeado pregador em Berwick e em 1551 capelão do rei Eduardo VI. Os problemas voltaram-lhe quando o rei Eduardo VI morreu em 1553 e foi sucedido pela rainha Maria I, que acabou restaurando o Catolicismo Romano como a religião do seu reino. Ele, juntamente com muitos outros Reformadores e reformados, fugiu para o Continente Europeu e acabou por passar algum tempo em Genebra, na Suíça, na companhia de João Calvino.



Ao regressar à Escócia em 1559, veio a ser o líder da Reforma no seu país. E, então, aconteciam conflitos religiosos entre os abraçavam a fé evangélica e a rainha Maria da Escócia, que se repetiam constantetemente. Finalmente a soberana foi deposta, o seu filho sucedeu-lhe no trono da Escócia como Jaime VI, e John Knox até pregou na sua coroação.



O seu incansável trabalho terminou por fazer da Escócia uma nação protestante, não obstante a sua batalha contra Satanás continuou até ao fim da sua vida terrena. Neste dia, 23 de novembro de 1572, domingo, o dia do Senhor, o dia anterior à sua morte, John Knox compartilhou estas palavras com um amigo: “Tenho nestas duas últimas noites estado a meditar sobre a afligida igreja de Deus desprezada no mundo, mas preciosa à Sua vista. Clamei ao Senhor por ela, e encomendei-a a Cristo, sua cabeça; tenho estado pelejando contra Satanás, que sempre está preparado para o assalto; lutei contra a iniquidade espiritual e prevaleci; senti-me como se estivesse no Céu, e provei os seus gozos.”



Durante aquela noite o seu médico notou a sua forma irregular de dormir e quando ele despertou perguntou-lhe o que estava sentindo, e ele respondeu: “Ao longo da minha vida fui assaltado por Satanás, em muitas ocasiões ele arrojou os meus pecados em frente de mim para me causar desespero, não obstante, Deus deu-me fortaleza para vencer as suas tentações; porém, agora, a serpente subtil, que nunca cessa de tentar, tomou outro curso, e busca persuadir-me que todo o meu trabalho no ministério, e a fidelidade que mostrei nesse serviço, merecem o Céu e a imortalidade. Mas bendito seja Deus que trouxe para a minha mente estas Escrituras: ‘Porque, quem te diferença? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?’ ‘Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a Sua graça para comigo não foi vã … todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo’. Agora estou seguro de que a minha batalha está próxima a ser concluída e que muito em breve estarei sem dor no corpo ou com problema de espírito, que cambiarei esta vida mortal e miserável pela vida feliz e imortal que nunca terá um fim.”



No dia seguinte John Knox entrou no gozo do seu Senhor que não tem fim. A sua batalha contra Satanás havia finalmente terminado.



Sente, em algumas ocasiões, como se estivesse batalhando contra Satanás? Na descrição da armadura do cristão em Efésios 6:13-18 estão mencionadas duas armas defensivas: No versículo 17: A Palavra de Deus, e no 18: a oração. Precisamos de as usar ininterruptamente!



“Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçados os pés na preparação do evangelho da paz, tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. 1Tomai, também, o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; orando, em todo o tempo, com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica, por todos os santos” (Efésios 6:13-18, ARC, Pt).

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: