… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

3 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas

3 de novembro

“A sua oração chegou até à Sua santa habitação, aos céus.” (2Cr 30:27, ARC, Pt)

A ORAÇÃO é o refúgio do Cristão que nunca falha, seja qual for a situação ou o apuro em que se encontre. Quando não puderes usar a tua espada, podes recorrer à arma da oração fervorosa. A sua pólvora pode humedecer e a corda do seu arco pode afrouxar, porém a arma da oração fervorosa jamais precisa de estar fora de uso. O leviatã ri-se do dardo, mas treme ante a oração. A espada e a lança precisam ser polidas, mas a oração nunca enferruja. A oração é uma porta aberta que ninguém pode fechar. Os demónios podem rodear-te por todos os lados, mas o caminho para cima está sempre aberto, e enquanto esse caminho estiver desobstruído, não cairás nas mãos do inimigo. Enquanto os socorros celestiais possam descer até nós, pela escala de Jacob, para nos socorrer nos momentos das nossas necessidades, nunca seremos aprisionados pela ação de um bloqueio, de um assalto, de uma mina ou de um ataque. A oração nunca está fora de estação: tanto no verão como no inverno a sua mercadoria é preciosa. A oração consegue audiência no Céu a altas horas da noite, no meio das ocupações diárias, no calor do meio dia ou no cair da tarde. Em qualquer condição em que estejas, quer seja na pobreza, ou na enfermidade, ou n  escuridão, ou na calúnia ou na dúvida, o teu Deus do pacto receberá agradado as tuas orações e lhes responderá desde o Seu santo lugar. Nem tão pouco a oração é em qualquer ocasião fútil. A genuína oração é sempre um verdadeiro poder. Possivelmente nem sempre consegues o que pedes, porém, terás sempre as tuas verdadeiras necessidades supridas. Quando Deus não responde aos Seus filhos de acordo com a letra, responde-lhes de acordo com o espírito. Se tu pedires farinha grosseira, zangar-te-ás porque Ele te dá a farinha da mais excelente qualidade? Se tu buscas saúde física, lamentar-te-ás se, em vez disso, Deus faz com que a tua enfermidade física redunde na cura das tuas enfermidades espirituais? Não é melhor ter a cruz santificada do que eliminada? Hoje à noite, minh’alma, não te esqueças, de oferecer a tua petição e solicitação, porquanto o Senhor está pronto para te conceder o que desejas.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: