… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

1 de dezembro


Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon
1 de dezembro – RENDER-SE À CHAMADA DIVINA


Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.” (Hb 11:8, ARC, Pt)

Abraão foi chamado e obedeceu. Não há sombra de dúvida, debate nem demora; quando ele foi chamado para ir, ele saiu. A queixa do Senhor é: “Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a Minha mão, e não houve quem desse atenção” (Provérbios 1:24). Tais chamadas vêm a muitos em repetidas ocasiões, mas prestam-lhes ouvido surdo. Só são ouvintes da Palavra, não fazedores. Inclusive entre os ouvintes mais atentos, quantos há a quem a Palavra chega sem quase nenhum resultado prático de obediência verdadeira? Que tontice é acrescentar um pecado atrás de outro, aumentando a dureza do coração, aumentando a distância entre a alma e Cristo, e, ao mesmo tempo, sonhando ternamente com um momento encantado no qual seja mais fácil ceder à chamada divina e romper com o pecado.



Abraão teve uma oportunidade e teve a graça de captá-la e até o dia de hoje não há na nossa raça um nome mais insigne que o “do pai da fé”. Ele foi um homem imperial, muito superior aos seus semelhantes. O seu coração estava no Céu, a luz de Deus banhava a sua fronte e a sua alma estava cheia da influência divina, de maneira que ele viu o dia do Senhor Jesus e se alegrou. Ele foi abençoado pelo Senhor que fez o céu e a terra e fez dele uma bênção para todas as nações. Alguns de vós nunca obtereis semelhante honra, vivereis e morrereis ignóbeis porque brincais com as chamadas supremas. E, não obstante, hás crido em Deus, e se tens vivido por fé, terás diante de ti um caminho de honra imortal que te levará à glória eterna.



A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: Ez 25-28

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: