… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

1 de dezembro

C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas

1 de dezembro
“Louvem ao SENHOR pela Sua bondade e pelas Suas maravilhas para com os filhos dos homens!” (Sl 107:8, ARC, Pt)

SE nos lamentássemos menos e louvássemos mais, seríamos mais felizes e Deus seria mais glorificado. Louvemos diariamente a Deus pelos favores comuns; comuns, como nós frequentemente lhes chamamos, e, apesar de tudo, tão inestimáveis que quando nos vemos privados deles estamos propensos a perecer. Bendigamos a Deus pelos olhos com que contemplamos o sol; pela saúde e pela força para andarmos por toda a parte; pelo pão que comemos e pelo trajo que vestimos. Louvemo-Lo, porque não somos expulsos entre os desesperados, nem aprisionados entre os culpados de crime. Agradeçamos-Lhe pela liberdade, pelos amigos e pela união e bem-estar familiares. Louvemo-Lo, de facto, por tudo o que recebemos da Sua mão generosa, porque nós pouco merecemos, mas, contudo, somos muito abundantemente dotados. Porém, amado, a nota mais melodiosa e mais alta dos nossos cantos de louvor deveria ser a nota do amor redentor. As obras redentoras de Deus para com os Seus escolhidos são para sempre os temas favoritos de Seus louvores. Se soubermos o que significa a redenção, não recusaremos os nossos sonetos de ação de graças. Nós temos sido redimidos do poder das nossas corrupções, levantados do abismo do pecado no qual por natureza estávamos afundados. Nós fomos conduzidos à cruz de Cristo. As nossas cadeias de pecado foram rompidas. Já não somos mais escravos, mas filhos do Deus vivente e podemos antecipar o tempo quando seremos apresentados diante do trono sem mancha ou ruga ou coisa semelhante. Até agora pela fé agitamos o ramo de palma e nos cobrimos com o formoso linho fino que tem de ser o nosso eterno adorno, e não devemos nós darmos graças incessantemente ao Senhor, nosso Redentor? Filho de Deus, podes permanecer em silêncio? Despertai, despertai, herdeiros de glória, e conduzi o vosso cativeiro cativo, enquanto nós clamamos com David: “Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o Seu santo nome”. Que este novo mês comece com novas canções.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: