… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

22 de dezembro



Oswald Chambers

My Utmost for His Highest

22 de dezembro “A atração do Pai”

“Ninguém pode vir a Mim, se o Pai que me enviou o não trouxer…” (Jo 6:44, ARC, Pt)

Quando Deus começa a atrair-me para Si mesmo, o problema da minha vontade surge imediatamente. Reagirei positivamente à verdade que Deus tem revelado? Irei a Ele? Discutirei ou deliberarei sobre assuntos espirituais, quando Deus chama é inapropriado e desrespeitoso para Ele. Quando Deus fala, nunca discutas isso com ninguém, para decidir qual deve ser a tua resposta (ver Gálatas 1:15-16).


A fé não é o resultado de um ato intelectual, mas o resultado de um ato da minha vontade pelo qual eu deliberadamente me comprometo. Mas, eu comprometer-me-ei, colocando-me completamente e absolutamente em Deus, e estarei disposto a atuar apenas no que Ele diz? Se eu o faço, descobrirei que estou fundamentado sobre a verdade, tão seguro como o trono de Deus.


Ao pregar o Evangelho, foca sempre a questão da vontade. A fé deve vir da vontade de crer. Deve haver uma rendição da vontade, não uma rendição a um argumento persuasivo ou poderoso. Devo sair deliberadamente, colocando a minha fé em Deus e na Sua verdade.


E eu não devo colocar nenhuma confiança nas minhas próprias obras, mas somente em Deus. Confiar no meu próprio entendimento mental torna-se um obstáculo para confiar totalmente em Deus. Devo estar disposto a ignorar e a abandonar os meus sentimentos. Devo desejar crer. Mas isso nunca pode ser realizado sem o meu esforço, convincente e decidido, para me separar dos meus velhos modos de ver as coisas. Devo entregar-me completamente a Deus.

Toda a gente foi criada com a capacidade de ir além da sua própria compreensão. Mas Deus é O que me atrai, e a minha relação com Ele, em primeiro lugar. é uma relação interior, pessoal, não uma relação intelectual. Eu entro nessa relação através do milagre de Deus e através da minha própria vontade para crer. Então eu começo a ter uma apreciação inteligente e uma compreensão da maravilha da transformação na minha vida.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: