… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

6 de dezembro


C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas
6 de dezembro

“Cingido pelo peito com um cinto de ouro.” (Ap 1:13, ARC, Pt)

“UM semelhante ao Filho do Homem” apareceu a João em Patmos, e o discípulo amado observou que usava um cinto de ouro. Um cinto, porque Jesus, enquanto andou na terra, nunca esteve não preparado, mas sempre preparado para servir, e agora, diante do trono eterno, Ele não interrompe o Seu santo ministério, porém, como um sacerdote, Ele cinge-se com “o cinto de obra esmerada do éfod.” É bom para nós saber que Ele não deixou de cumprir o Seu ministério a favor de nós, e o fato de que Ele vive para sempre para interceder por nós é uma das nossas mais seguras defesas. Jesus nunca Se mostra uma pessoa ociosa. As Suas vestimentas nunca estão soltas como se o Seu ministério tivesse terminado; pelo contrário, Ele promove diligentemente a causa do Seu povo. Um cinto de ouro, para demonstrar a superioridade do Seu serviço, a realeza da Sua pessoa, a dignidade do Seu estado e a glória do Seu galardão. Já Ele não clama mais do pó, mas, sim, Ele intercede com autoridade como Rei e como Sacerdote. Muito segura está a nossa causa nas mãos do nosso entronizado Melquisedec.

Nosso Senhor dá a todo o Seu povo um exemplo. Nós nunca devemos desatar os nossos cintos. Este não é tempo de nos deitarmos a descansar, é o tempo de trabalho e de luta. Precisamos de atar o cinto da verdade mais e mais fortemente, em redor dos nossos lombos. É este um cinto de ouro, e por isso ele será para nós um ornamento muito valioso, e nós necessitaremos muito dele, pois um coração que não está atado com firmeza com a verdade como ela está em Jesus e com a fidelidade que é obrada pelo Espírito, ele será enredado facilmente com as coisas desta vida e será derrubado pelos laços da tentação. Não vale nada que tenhamos as Escrituras se não as atarmos em nosso redor como um cinto que nos rodeie completamente, conservando em ordem cada parte do nosso caráter e unindo todo o nosso ser. Se no Céu Jesus não desata o cinto, muito menos o podemos nós desatar sobre a Terra. “Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: