… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

7 de dezembro


William MacDonald
Um dia de cada vez
7 de dezembro

“O maior deles é o amor.” (1Co 13:13, ARC, Pt)

O amor é o poder conquistador num mundo de ódio, de lutas e de egoísmo. Pode fazer o que nenhuma outra virtude pode obter; nesse sentido é a rainha das graças. O amor devolve os impropérios com bondade e ora pedindo misericórdia para os seus verdugos. Actua desinteressadamente quando todos ao seu redor vociferam pelos seus direitos. Dá, até que não pode dar mais.


Um hindu guiava o seu elefante pela rua, aguilhoando-o continuamente para que ele aumentasse a velocidade. Repentinamente a aguilhada de metal escorregou-lhe da mão e ele caiu com forte estrondo sobre o chão. O elefante, dando meia volta, apanhou a aguilhada com sua tromba e devolveu-a ao seu amo. O amor é assim.



Numa das fábulas de Esopo, havia uma contenda entre o Sol e o Vento a respeito de quem poderia fazer com que um homem tirasse o casaco. O Vento soprou furiosamente, mas quanto mais soprava, mais o homem apertava o casaco. Então, o Sol lançou os seus raios sobre aquele homem, e este tirou o casaco. Fê-lo tirar o casaco por meio do calor. O amor é assim.



Sir Walter Scott arremessou uma vez uma pedra a um cão vadio, com tal força e precisão que lhe partiu uma pata. Enquanto Scott olhava com remorso, o cão coxeou até ele e lambeu a mão que tinha arremessado a pedra. O amor é assim.



Stanton lançava amargas invectivas contra Lincoln chamando-lhe “pastrano vulgar e zorro” e “o gorila original.” Dizia porque haveria de estar louco para ir a África procurar um gorila, quando havia um em Springfield. Lincoln voltou-lhe a outra face. De facto, mais tarde designou Stanton como Ministro da Guerra, insistindo em que ele era o homem mais qualificado para o trabalho. Quando Lincoln foi assassinado, Stanton permaneceu ao lado do corpo sem vida, chorando abertamente e dizendo: “Aqui jaz o maior governante que o mundo jamais tem visto.” Lincoln tinha-o conquistado dando a outra face. O amor é assim.



E. Stanley Jones escreveu: “Ao dares a outra face desarmas o teu inimigo. Golpeia-te na face e tu, com a tua audácia moral, ao dar-lhe a outra face, golpeias-lhe o coração. A inimizade dissolve-se e o teu inimigo deixa de o ser. Desfazes-te do teu inimigo ao o desfazeres da sua inimizade... O mundo está aos pés do Homem que tinha poder para devolver o golpe, mas que teve poder para não o devolver. Isso é poder, o máximo poder.”



Algumas vezes pode parecer que se consegue mais falando com palavras ásperas, devolvendo olho por olho e defendendo os mesmos direitos. Estes métodos têm alguma quantidade de poder. Mas o balanço do poder está do lado do amor porque, em lugar de aprofundar a hostilidade, o amor transforma os inimigos em amigos.

Tradução de Carlos António da Rocha

****
Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: