… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

8 de dezembro



Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

8 de dezembro – A FÉ QUOTIDIANA

“Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaac? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que, pelas obras, a fé foi aperfeiçoada.” (Tg 2:21-22, ARC, Pt)

Confia no Senhor teu Deus. Crê também em Jesus, Seu Filho. Despoja-te da fé falsa e crê realmente. Despoja-te da fé profissional e confia no Senhor em todo o tempo para todas as coisas. “O quê, confiar nEle quanto a libras, xelins e centavos?” Sem dúvida alguma. Eu temo que a fé que não pode confiar em Deus quanto ao pão e à roupa, é uma fé que mente. Tem por seguro que essa não é a fé sólida e prática de Abraão, que confiava em Deus em relação à sua tenda, ao seu gado, à sua esposa e ao seu filho. A fé que fez que David confiasse em Deus quanto aos filhos, às filhas e ao despojo, é a espécie de fé que tu e eu devemos ter. Se não se pode confiar em Deus para pães e peixes, como confiar nEle para as coisas da eternidade e as glórias que ainda não se revelaram? Permanece em Deus com uma fé quotidiana. A fé em Deus é o exercício do sentido comum santificado. A razão mais pura aprova a confiança em Deus. O final declarará a sabedoria de crer em Deus. No final, quando nós juntamente com todos os crentes elevemos a grande aleluia ao Senhor, Deus de Israel, que reina sobre todas as coisas a favor do Seu povo, todos saberão que a fé é honorável e a incredulidade desprezível.



A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: Dn 4-6


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: