… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 15 de março de 2017

15 de março de 1411 • Jan Hus, o ‘Protolutero’, excomungado



15 de março de 1411 Jan Hus, o ‘Protolutero’, excomungado

Monumento a Jan Hus
Este impressionante conjunto escultórico domina o centro da Praça da Cidade Velha de Praga, recordando-nos o mais importante Reformador checo, Jan Hus, que morreu queimado na fogueira em 1415 condenado por heresia

Jan Hus representa melhor do que ninguém os princípios que cem anos mais tarde Martinho Lutero defenderia. Hus pôs as bases da Reforma Protestante embora isso lhe viesse a custar a vida.



A Boémia era uma região próspera em que alguns burgueses tinham obtido um desenvolvimento económico maior que em outras regiões da Europa.



A vida de Jan Hus era muito diferente. Filho dum camponês pobre, educado na singela igreja de Husinec, em que foi acólito, desde muito jovem que sentia uma profunda vocação religiosa.



O jovem Jan era muito aficionado pela música e cantava no coro da igreja. O jovem estudante gostava de muito ler sobre as vidas dos santos e procurava imitar a fé deles.



Hus era um leitor inveterado e conseguiu completar com facilidade e rapidez os seus estudos de bacharel, nos finais do século XIV. Pouco depois, apesar da pobreza da sua família, foi estudar Teologia e Artes na Universidade de Praga. Depois de se licenciar foi ordenado sacerdote e pouco depois já era professor daquela universidade.



Alguns dos seus alunos que tinham ido estudar na Universidade de Oxford, na Inglaterra, comunicaram-lhe as ideias de Wycliffe. A partir desse momento, Hus começou a pregar contra as excessivas riquezas da igreja, a imoralidade do clero e a necessidade de pregar na língua checa.



As palavras de Jan Hus foram bem acolhidas pelo povo checo, que estava subjugado pela minoria alemã e pelo imperador.



No inicio de 1411, o Papa seguindo o conselho do cardeal Otto Colonna (que mais tarde, seria o papa Martinho V) declarou Jan Hus herege e ordenou-lhe que comparecesse perante ele em Roma. Hus recusou-se a fazê-lo. E, então, em 21 de fevereiro de 1411, o papa excomungou Hus e interditou a cidade de Praga. A interdição significava que os católicos em Praga estavam proibidos de receber os sacramentos. Mas como naquele tempo o mundo girava à velocidade dos azeméis a ordem de excomunhão só foi publicada em Praga, neste dia, 15 de março de 1411. Jan Hus tinha sido excomungado, mas isso não o impediu de continuar ensinando na Universidade e de publicar seu livro “Ecclesia.”



Quatro anos mais tarde, o imperador Segismundo outorgou-lhe um salvo-conduto para ele ir em segurança ao Concílio de Constança, onde lhe tinham prometido que escutariam os seus argumentos. Logo que ele chegou à cidade, o imperador exigiu-lhe que se retratasse dos seus erros, mas ele não o fez.



O imperador mandou queimar Jan Hus na fogueira. Todavia, um pouco antes disso acontecer, Hus profetizou a chegada de outro homem que triunfaria onde ele tinha fracassado. Diante do imperador, disse: “Vais assar um ganso, mas dentro de um século defrontar-te-ás com um cisne que não poderá assar.”



Alguns crêem que com estas palavras ele estava profetizando a chegada de Lutero, cem anos mais tarde. É por isso que Jan Hus é considerado o ‘Protolutero’.



Depois da morte de Jan Hus os seus discípulos dividiram-se em dois grupos: os utraquistas, que eram mais moderados e pertenciam principalmente à baixa nobreza, à burguesia e à universidade. O outro grupo era o dos taboritas, que eram mais radicais e fizeram oposição audaz na fortaleza da cidade de Tábor, localizada na região da Boémia do Sul, na República Tcheca. Os taboritas eram antialemães e persistiram numa reforma mais radical.



Em 1414, os hussitas enfrentaram o imperador e a Igreja Católica. As suas reivindicações eram políticas e religiosas.



Pediam a participação dos crentes na Santa Ceia nas duas espécies, a liberdade de culto e de pregação, a secularização dos bens do clero, a pobreza da Igreja e uma disciplina mais estrita para os clérigos.



A guerra durou vários anos, mas depois da cessão da Igreja em algumas matérias, o bando mais moderado assinou a paz. A mensagem dos hussitas persistiu até à chegada da Reforma Protestante um século mais tarde.

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: