… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 29 de março de 2017

29 de março de 32 • O lado negativo dos milagres



29 de março de 32 O lado negativo dos milagres

Betânia, onde moravam os amigos de Jesus
No inverno do ano 30 ou 32 de nossa era, um homem chamado Lázaro adoeceu. Vivia em Betânia, uma aldeiazinha a sudeste do Monte das Oliveiras, a partir de Jerusalém, com as suas duas irmãs, Maria e Marta. Eles encontravam-se entre os amigos íntimos de Jesus. E diz a Escritura: “Estava então enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e da sua irmã, Marta ... Mandaram-lhe, pois, suas irmãs, dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas.” (Jo 11:1, 3)

Alguém poderia pensar que quando o Senhor recebeu a mensagem deveria apressar-se imediatamente para vir para junto do seu amigo, mas “Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava. Depois disto, disse aos Seus discípulos: Vamos outra vez para a Judeia. Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram, pois, os Seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Mas Jesus dizia isto da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono. Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto; e folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis; mas vamos ter com ele.” (Jo 11:5-7, 11-15)

Quando Marta se inteirou que Jesus vinha, saiu a recebê-Lo e “Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se Ttu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido… Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia. Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em Mim, nunca morrerá. Crês tu isto? Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que Tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.” (Jo 11:21, 23-27).


O Senhor então foi ao lugar onde o tinham sepultado. Era uma cova e uma pedra tapava a entrada, e disse: “Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias. Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, pois, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre Me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que Tu me enviaste. E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.” (Jo 11:39-44)



Muitas pessoas crerem nEle depois de terem sido testemunhas deste milagre. Mas alguns foram aos fariseus para lhes reportar o que Jesus fazia. Como resposta, os principais sacerdotes e os fariseus convocaram uma reunião do Sinédrio para discutir o que eles consideravam ser uma situação perturbadora. Temiam que todos na nação se convertessem em seguidores de Jesus, e que então os romanos enviariam o seu exército e os exterminariam. “E Caifás, um deles, que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação.” (Jo 11:49 e 50).



Como os líderes religiosos estavam conjurando para matar a Jesus, Ele e os Seus discípulos saíram de Jerusalém e foram para um lugar mais seguro. Mas como era o tempo da celebração da Páscoa, quando a cada homem judeu era requerido que fosse a Jerusalém, o Senhor e Seus discípulos regressaram a Betânia para posar na casa de Lázaro.



No segundo dia, depois dEle estar ali, neste dia de 29 de março do ano 32 da nossa era, toda a povoação se inteirou de que Jesus tinha chegado e a multidão apressou-se a ir vê-Lo e a ver também a Lázaro a quem Ele tinha ressuscitado de entre os mortos.



O sumo dos sacerdotes então decidiu que a única solução para acabar com a popularidade de Jesus era matá-Lo, assim como a Lázaro: “E muita gente dos judeus soube que ele estava ali; e foram, não só por causa de Jesus, mas, também, para ver a Lázaro, a quem ressuscitara dos mortos. E os principais dos sacerdotes tomaram deliberação para matar, também, a Lázaro; porque muitos dos judeus, por causa dele, iam e criam em Jesus.” (Jo 12:9-11).



Por que julga que os líderes religiosos desejavam assassinar tanto a Jesus como a Lázaro? Um milagre poderoso tinha tido lugar, e eles desejavam acabar com a evidência.



Ora ele não disse isto de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E, não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus, que andavam dispersos.” (Jo 11:51 e 52)


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: