… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 3 de abril de 2017

3 de abril do ano 32 • A crucificação




3 de abril do ano 32 A crucificação
 O horto (ou jardim) de Getesêmane
Durante a noite anterior, os sacerdotes e os fariseus tinham enviado uma coorte de soldados romanos com Judas, para prender a Jesus no horto de Getesêmane e levá-lo a julgamento ante o sumo sacerdote e o Sinédrio.



Depois que foi concluída a audiência nas primeiras horas da manhã deste dia de 3 de abril do ano 30 ou 32 da era cristã, o Senhor foi levado ante Pôncio Pilatos, o governador romano.



Tornou, pois, a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o rei dos judeus? Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes isso de ti mesmo, ou disseram-to outros de Mim? Pilatos respondeu: Porventura sou eu judeu? A Tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a Mim: que fizeste? Respondeu Jesus: O Meu reino não é deste mundo; se o Meu reino fosse deste mundo, pelejariam os Meus servos, para que Eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o Meu reino não é daqui. Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo, Tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que Eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a Minha voz. Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nEle crime algum; mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus? Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.”...



O presidente, porém, disse: Mas que mal fez Ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado. Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue dEste justo: considerai isso. E, respondendo todo o povo, disse: O Seu sangue caia sobre nós e sobre os nossos filhos. Então soltou-lhes Barrabás e, tendo mandado açoitar Jesus, entregou-O, para ser crucificado.” (João 18:33-40, Mateus 27:23-26).



O evento seguinte foi verdadeiramente incrível. Se bem que o Senhor havia nascido para ser rei e tinha sido ungido pelo Espírito Santo imediatamente depois do Seu batismo, nunca tinha sido coroado oficialmente. Depois, os soldados bateram no Senhor, coroaram-no, fazendo todos os procedimentos habituais usados na coroação de um César romano.



No império romano, eram os soldados quem habitualmente escolhiam o imperador seguinte. “E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram sobre a cabeça, e lhe vestiram uma veste de púrpura... E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e na Sua mão direita uma cana; e, ajoelhando-se diante dEle, O escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus!... Então Pilatos saiu outra vez fora, e disse-lhes: Eis aqui vo-Lo trago fora, para que saibais que não acho nEle crime algum. Saiu, pois, Jesus fora, levando a coroa de espinhos e o vestido de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem. Vendo-O, pois, os principais dos sacerdotes e os servos clamaram, dizendo: Crucifica-O, crucifica-O. Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho nEle.... Então entregou-lhO, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e O levaram.” (João 19:2; Mateus 27:29; João 19:4-6,16)



E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que se diz: Lugar da Caveira... E foram crucificados com Ele dois salteadores, um à direita e outro à esquerda … E por cima da Sua cabeça puseram escrita a Sua acusação: Este é Jesus, o Rei dos Judeus.” (Mateus 27:33, 38, 37)



Às três da tarde um terremoto abalou Jerusalém quando Ele morria, exatamente à mesma hora em que os cordeiros pascais eram sacrificados por toda a Jerusalém. O apóstolo Paulo mais tarde escreveu: “...Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-Se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro.” (Gálatas 3:13)



O Senhor Jesus Cristo pagou o castigo pelos pecados do Seu povo a fim de que pudessem ser perdoados numa base justa.



O dia 3 de abril do ano 30 ou 32 da nossa era é o dia mais importante da história humana porque sobre a cruz o novo Rei de reis sofreu e morreu, pagando a pena pelos pecados do Seu povo. Todos os que confiam nEle como seu Salvador e Rei, recebem o perdão dos pecados e a vida eterna. E você, já tem confiado nEle?



E o centurião, e os que com ele guardavam Jesus, vendo o terramoto, e as coisas que haviam sucedido, tiveram grande temor, e disseram: Verdadeiramente este era Filho de Deus.” (Mateus 27:54)


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: