… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

15 de maio


Oswald Chambers

My Utmost for His Highest

15 de maio   O HÁBITO DE NOS MOSTRAR-MOS À ALTURA DAS CIRCUNSTÂNCIAS



“… Para que saibais qual seja a esperança da Sua vocação…” (Ef 1:18, ARC, Pt)

Lembra-te de que tu foste salvo de modo que a vida de Jesus Se manifeste no teu corpo (ver 2Co 4:10). Administra a energia total dos teus poderes de modo que tu possas alcançar tudo o que a tua eleição como um filho de Deus providencia; mostra-te sempre à altura de qualquer circunstância que possa aparecer no teu caminho.



Tu não fizeste nada para realizar a tua salvação, mas deves fazer alguma coisa para mostrá-la. Deves operar a tua salvação que Deus já operou em ti (Fl 2:12). São o teu falar, o teu pensamento e as tuas emoções evidência de que tu a estás operando? Se tu ainda continuas a mesmo pessoa miserável e impertinente, estando decidido a insistir no teu próprio caminho, então é uma mentira dizeres que Deus te salvou e te santificou.



Deus é o Designer Mestre, e Ele permite as adversidades na tua vida para ver se tu podes transpô-las devidamente— com o meu Deus saltei uma muralha (Sl 18:29, ARC, Pt). Deus jamais te protegerá das exigências de ser Seu filho ou filha. 1Pe 4:12 (ARC, Pt) diz: Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós, para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse ... Mostra-te à altura das circunstâncias— faz o que a prova exige de ti. Não importa o quanto ela doa, desde que ela dê a Deus a oportunidade de manifestar a vida de Jesus no teu corpo.



Que Deus não encontre mais reclamações em nós, mas a vitalidade espiritual—uma prontidão para enfrentar qualquer coisa que Ele faça vir para o nosso caminho. O único e adequado objectivo da vida é que manifestemos o Filho de Deus, e quando isso ocorre, todas as nossas ordens que damos a Deus cessam. Nosso Senhor nunca deu ordens a Seu Pai e nem sequer nós estamos aqui para dar ordens a Deus. Estamos aqui para nos submetermos à Sua vontade, para que Ele possa operar por meio de nós o que Ele quiser. Logo que percebemos isto, Ele converter-nos-á em pão partido e vinho derramado, com os quais alimentamos e nutrimos as outras pessoas.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: