… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 8 de maio de 2017

8 de maio de 1845 • É fundada a Igreja Presbiteriana no Funchal: a primeira comunidade protestante portuguesa



8 de maio de 1845 É fundada a Igreja Presbiteriana no Funchal (Ilha da Madeira) a primeira comunidade protestante portuguesa

Igreja Presbiteriana do Funchal, na Ilha da Madeira, iniciada por Robert Reid Kalley


Mesmo após a abolição da Inquisição em Portugal, em 1821, a prática do protestantismo continuava sendo proibida a todos os cidadãos portugueses. Apenas aos estrangeiros era permitido praticar outras religiões que não a católica, desde que não em língua portuguesa e tampouco em edifícios que pudessem ser identificados externamente como igrejas. Só após a implantação da República em 5 de outubro de 1910, é que se pode falar de liberdade religiosa em Portugal, o que possibilitou a existência oficial de comunidades protestantes. Mas …



Robert e Margaret casam em 1838. O sonho de Robert era tornar-se missionário na China, mas, considerando a frágil saúde da esposa, é-lhe sugerido que fossem para a ilha da Madeira, “um pequeno paraíso de clima suave” a Pérola do Atlântico! Assim, no dia 12 de outubro do mesmo ano, o casal aporta no Funchal, onde já havia uma colónia de escoceses presbiterianos. E, no ano seguinte, no dia 8 de julho, Kalley é ordenado pastor dela.



Então o Dr. Kalley cria um pequeno hospital no Funchal e logo se dá conta de que os madeirenses demonstram uma surpreendente falta de conhecimento da doutrina cristã, pelo que dá início ao trabalho missionário. Bíblias são distribuídas e iniciado um trabalho de missão que encontra muito acolhimento por parte de muitos madeirenses.



Funda 20 escolas primárias com o fito de ensinar a ler a Bíblia, que aliás era o livro de texto desses estabelecimentos, prega o Evangelho, traduz e escreve hinos.



Em 1843 iniciam-se as perseguições com o encerramento das escolas, com a proibição de que Kalley falasse sobre assuntos de religião, com a prisão de Kalley por cinco meses e com a intimação, perseguição e prisão dos crentes madeirenses, uma das quais, Maria Joaquina Alves, é condenada à morte por apostasia, heresia e blasfémia. Felizmente tal sentença foi revogada pelo Tribunal da Relação de Lisboa.



O trabalho evangélico de Robert Reid Kalley, médico e pastor escocês, realizado na Ilha da Madeira desenvolve-se e amadurece, pelo que é fundada e organizada neste dia, 8 de maio de 1845, a primeira comunidade protestante portuguesa. Ainda que ilegalmente perante as leis do Reino de Portugal, pois as igrejas protestantes dos autóctones permaneciam proibidas, é organizada por Kalley e Hewitson no Funchal, a Igreja Presbiteriana, tendo sido ordenados presbíteros. Um deles é Arsénio Nicos da Silva, e diáconos, celebrada a Ceia do Senhor por 61 crentes convertidos da Madeira e com cerca de 2 000 madeirenses envolvidos nela.



A situação foi sendo agravada pela tensão religiosa entre o grupo de convertidos evangélicos e a comunidade local, tradicionalmente católica. A nova igreja seria perseguida pelas autoridades madeirenses. A partir de 2 de agosto de 1846 intensificaram-se as injúrias e ações contra os “calvinistas”. As perseguições atingem o seu auge em 9 agosto de 1846, data em que as forças católicas romanas estavam determinadas a erradicar de vez o “calvinismo” da Madeira. Nesse dia, domingo, dia de São Bartolomeu, sob a orientação do cónego Teles, a casa de Kalley é assaltada, a sua biblioteca queimada e os crentes madeirenses procurados em suas casas, espancados, perseguidos e presos. Kalley teve de se disfarçar para poder entrar no barco inglês que o salvou. A sua mulher e familiares obtiveram a proteção do consulado britânico. Kalley e mais de um milhar de protestantes logram escapar.



Nesta perseguição cerca de 2 000 cristãos “evangélicos” são expulsos da ilha da Madeira pelas autoridades portuguesas. Muitos destes madeirenses protestantes perseguidos e expulsos permaneceram firmes na sua fé, viveram nestas novas paragens em liberdade e paz de espírito, fundando nos anos seguintes novas e ativas comunidades evangélicas no estrangeiro, sobretudo presbiterianas, principalmente no Brasil, nas ilhas de Trindade e Tobago, nas Bermudas, e nos Estados Unidos, onde os Madeirenses evangélicos fundaram a cidade de Jacksonville, no estado de Illinois. Mais tarde, destas comunidades vivas e fulgurantes na fé, vieram alguns missionários para Portugal, havendo sido fundada a Igreja Presbiteriana de Lisboa, em 1870, vindo a ser o seu primeiro pastor, António de Matos, (na grafia oitocentista, Mattos) de seu nome completo António Joaquim de Matos, um dos “convertidos” na sequência da pregação de Robert Kalley, no Funchal!


Depois de 1846 a Igreja Evangélica Presbiteriana na Madeira entra na clandestinidade, robusteceu-se e recebeu também da Sua plenitude, e graça por graça e 170 anos depois ainda hoje existe, tem actualmente, na cidade do Funchal, o nome de Igreja Evangélica Presbiteriana Central. 

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: