… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 6 de maio de 2017

6 de maio de 1831 • Samuel Schereschewsky, bispo anglicano de Xangai



6 de maio de 1831 Samuel Schereschewsky, 
 bispo anglicano de Xangai



Samuel Isaac Joseph Schereschewsky nasceu numa família judaica em Tauroggen, na Lituânia russa, neste dia, 6 de maio de 1831. Foi educado na escola talmudista de Zhitomir, na Rússia, e na universidade de Breslau, que frequentou durante dois anos. Tudo indicava que a sua vida seria a de um hebraísta rabínico e a de um erudito talmudista. Porém a leitura do Novo Testamento em hebraico que a ”London Society for the Promotion of Christianity among the Jews” havia editado, mudou-lhe o curso da sua vida. Em 1854 foi para os Estados Unidos. Aí frequentou o Seminário Teológico Presbiteriano de Pittsburg, na Pensilvânia, de 1855 a 1858. E durante este ano aderiu à Igreja Episcopal norte-americana e estudou durante oito anos no General Theological Seminary em Nova Iorque. Foi ordenado diácono em 1859 e pastor em 1860. Parte em seguida para a China como missionário, residindo sucessivamente em Xangai de 1860 a 1863 e em Pequim de 1863 a 1875. De 1875 a 1877 esteve nos Estados Unidos. E em 15 de outubro de 1875 Samuel Schereschewsky é indigitado para ser bispo anglicano de Xangai, mas recusou a posição. Eleito novamente, em 1877, aceitou. Recebeu o grau de D. D. da Faculdade de Kenyon, no Ohio, em 1876, e o de S. T. D. de Columbia, em 1877. E em 31 de outubro desse ano foi consagrado bispo anglicano de Xangai em Nova Iorque. E parte para a China. Em 1883 retirou-se do seu posto missionário por causa de uma paralisia de que vinha padecendo desde 1881. Não obstante, continuou a sua obra de tradutor com grande perseverança apesar das suas dificuldades. De 1886 a 1895 residiu nos Estados Unidos, preparando uma revisão da Bíblia em mandarim que ele tinha traduzido sem ajuda de ninguém feita uns anos antes. Mas como a paralisia foi desenvolvendo chegou o momento em que já não conseguia aguentar a pluma com os  seus dedos, já que só conseguia mexer um dedo de cada mão. Então arranjou uma máquina de escrever e com esses dois dedos datilografou a tradução revisada do Antigo Testamento do original hebraico para o mandarim. E, então, vai de novo para Xangai, onde durante dois anos se dedicou a transliterar o texto romanizado da sua versão para caracteres chineses. De 1897 até à sua morte ocorrida em Tóquio a 15 de outubro de 1906 Samuel Schereschewsky residiu no Japão, preparando uma referência para a Bíblia em mandarim e uma tradução dos apócrifos, que não consegue finalizar. Os serviços de tradução de Schereschewsky foram particularmente valiosos ao traduzir para o mandarim e chinês as escrituras hebraicas do A. T.. Participou da tradução do N. T. grego para o chinês e mandarim, e traduziu também para os mesmos idiomas “O Livro de Oração Comum” (Book of Common Prayer, em inglês). Ele também traduziu o evangelho de Marcos para o mongol, e preparou um dicionário deste Idioma. Fundou uma universidade, a St. John's University, em Xangai, em 1879. Depois contraiu Parkinson, resignou como Bispo e gastou o resto doa seus dias nas suas traduções e as suas últimas 2000 páginas escreveu-as apenas com um dedo, porque era o único que ele podia mexer. Quatro anos antes da sua morte, em 1906, ele disse: “Eu sentei-me nesta cadeira durante mais de vinte anos. Parecia-me muito duro no princípio. Mas Deus soube fazer o melhor. Ele manteve-me vivo para que eu levasse a cabo o trabalho para o qual eu estava melhor dotado e preparado.” A importância do trabalho missionário do bispo Schereschewsky não se deve tanto pela sua extensão e sabedoria mas mais pelo testemunho da valentia indomável deste homem e pela sua devoção à sua obra. Seis anos depois da sua consagração como bispo sofreu uma paralisia, e teve de renunciar à sua jurisdição episcopal. A sua enfermidade deixou-lhe apenas o uso do dedo médio de cada mão. Felizmente, a sua inteligência ficou intacta, e com aqueles dois dedos ele foi batendo numa máquina de escrever os textos das escrituras hebraicas do A. T. que ia traduzindo para o mandarim e para o chinês. A sua influência como tradutor foi muito maior e mais importante do que a sua importância como bispo. E os Chineses cristãos recordam Samuel Isaac Joseph Schereschewsky com gratidão a Deus, porquanto ele, o grande sábio, na sua debilidade foi o instrumento de Deus para lhes levar o “Pão da Vida”. Samuel Isaac Joseph Schereschewsky, o bispo anglicano de Xangai, muito provavelmente, foi o tradutor mais importante das Escrituras Hebraicas, o Antigo Testamento, para a sua língua.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: