… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

“Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo.” (Lc 1:68)



“Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo.” (Lc 1:68)

     No Seu Primeiro Advento, Deus manifestou-Se numa terrível, espessa e escura nuvem, como fogo, fumaça de trovões com fortíssimo clangor de trombeta, num espetáculo tão terrível que os filhos de Israel ficaram com muito medo e disseram a Moisés: “Tudo o que Deus ordenou queremos fazer de boa vontade. Porém, fale-nos você; não podemos ouvir a voz de Deus sem morrer.” Então Ele lhe deu a Lei. A Lei é cruel; a gente não gosta de ouvi-la. Ela é um pavor para a nossa razão, assim que, por vezes, a pessoa cai em desespero. A Lei sobrecarrega a consciência de tal forma que a pessoa fica completamente sem saber o que fazer.

     O outro Advento de Cristo não é assim tão aterrador, antes, é pacífico; não terrível como Deus no Antigo Testamento, mas meigo, misericordioso, como uma pessoa humana. Ele não vem sobre o monte, e sim, na cidade. No Sinai, Ele veio trazendo terror; agora, vem trazendo paz. No Sinai, foi temido, pois veio com trovões, mas, agora, Ele vem com hinos de louvor. Daquela feita, veio com forte clangor de trombeta; agora, vem chorando à vista de Jerusalém. No Sinai, ele veio metendo medo; agora, vem trazendo consolo, alegria e amor. Daquela vez, ele disse: “Quem subir ao monte morrerá.” Agora, Ele diz: “Digam à filha de Sião: o seu rei está chegando.” Vejam, aqui temos a diferença entre Lei e Evangelho: a Lei exige, o Evangelho perdoa tudo gratuitamente. A Lei traz ira e ódio, o Evangelho concede graça. No Primeiro Advento, os filhos de Israel não puderam ouvir a voz de Deus, enquanto agora, a gente não se cansa de ouvi-la, de tão doce que ela é. Por isso, ao estarem angustiados e profundamente entristecidos, não subam ao monte Sinai, isto é, não busquem ajuda mediante a Lei ou satisfações; vão a Jerusalém, ou seja, ao Evangelho. Este diz: “Teus pecados te são perdoados. Vai e não peque mais.”
Martinho Lutero
In Meditações de Lutero, Castelo Forte - 1983

Sem comentários: