… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

“A justiça de Deus <é> mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem.” (Rm 3:22)


A justiça de Deus <é> mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem.” (Rm 3:22)

     A fé não só faz com que a pessoa corresponda ao que dela espera a Palavra de Deus, isto é, cheia de graça, livre e feliz, mas também une a alma com Cristo qual noiva <que> se une ao seu noivo. Como resultado deste casamento, conforme diz São Paulo (Ef 5:30), Cristo e a alma tornam-se uma só carne e têm comunhão de bens, tanto de coisas boas como de coisas ruins. Desta forma, o que Cristo possui passa a pertencer à alma crente, e o que esta possui passa a pertencer a Cristo. Cristo possui todo o bem e santidade. Isto, agora, pertence à alma. A alma está cheia de defeitos e pecados. Estes, agora, tornam-se de Cristo.

     Aqui começa a feliz troca e a luta. Porque Cristo é Deus e Homem, alguém que nunca pecou e cuja santidade é insuperável, eterna e todo-poderosa. Portanto, quando Ele, através da aliança, que é a fé, toma sobre si os pecados da alma crente como se Ele próprio os tivesse cometido, estes são, necessariamente, engolidos e afogados n’Ele. Pois não há pecado que resista diante da Sua insuperável justiça. A alma, por sua vez, é purificada de todos os seus pecados através do dote de noiva, ou seja, através da fé n’Ele torna-se livre e recebe do Seu noivo, Cristo, o dom da eterna justiça.
 Martinho Lutero
In Meditações de Lutero, Castelo Forte - 1983

Sem comentários: