… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

“Cantarei a bondade e a justiça; a ti, Senhor, cantarei.” (Sl 101: 1)


“Cantarei a bondade e a justiça; a ti, Senhor, cantarei.” (Sl 101: 1)

     O que acontece por força da natureza, isso vai em frente sem problemas, mas sem lei ou até contra todas as leis. Quando, porém, a natureza não está presente e as coisas deverão ser feitas por mais leis, tudo é mendicância e remendo, como acontece numa natureza enferma. É visto que o mundo está doente. São raros os heróis sadios, e Deus os concede a um alto preço. Não obstante, há de haver um regime governamental, para que os homens não se virem feras. Por isso, as coisas no mundo, em geral, deixam a desejar e são pobres, um verdadeiro hospital, pois ambos, príncipes e senhores e todas as autoridades governamentais, carecem de sabedoria e coragem, ou seja, carecem da felicidade e das bênçãos de Deus, do mesmo modo como falta força e vigor aos doentes. Por isso, em questão de governo, tem de se remendar e emplastar, recorrer a leis e livros e ao direito, à sabedoria e ao exemplo dos heróis, até que venha o tempo em que Deus dará novamente um herói sadio ou um homem milagroso, sob cuja mão as coisas irão melhorar, que reformula a lei ou a usa de tal maneira que na terra verdejem e floresçam a paz, a disciplina, a segurança, a justiça, e haja um regime sadio; um homem que, apesar disso tudo, seja respeitado, honrado e amado em vida e louvado eternamente após a sua morte. De que valem grande e alta sabedoria, coragem e opinião excelentes, cordiais e boas, quando não são os pensamentos de Deus e que Deus abençoa?
Martinho Lutero
In Meditações de Lutero, Castelo Forte - 1983

Sem comentários: