… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 30 de dezembro de 2017

“E esta é a confiança que temos para com ele, que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.” (1Jo 5:14)


“E esta é a confiança que temos para com ele, que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.” (1Jo 5:14)

     A necessidade que leva o Senhor a fazer este pedido é uma necessidade terrena, corporal. Agora, em tudo que diz respeito ao corpo devemos submeter a nossa vontade à vontade de Deus, pois, como diz São Paulo, não sabemos orar como convém. Assim, muitas vezes nos é altamente necessário que Deus nos mantenha sob a cruz e em situação de aperto. E porque somente Deus sabe o que é bom e necessário para nós, devemos colocar a Sua vontade em primeiro plano e a nossa em segundo e, por meio da paciência, demonstrar a nossa obediência.

     Mas quando não se trata de coisas corporais, e sim, do que é eterno: que Deus nos conserve na Sua Palavra, nos santifique e perdoe os pecados e nos conceda o Espírito Santo e a vida eterna, aí a vontade de Deus é clara e certa: Ele deseja que todas as pessoas reconheçam o Seu pecado e, por meio de Cristo, creiam no perdão dos mesmos.

     Por esta razão, quando se trata de pedir isso, não é necessário que a gente submeta isso à vontade de Deus, como se Ele pudesse tanto querer quanto não querer. Devemos saber e crer que Ele no-lo quer dar de boa vontade e sem vacilar.
Martinho Lutero
In Meditações de Lutero, Castelo Forte - 1983



Sem comentários: