… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família. (1Tm 5:4)



Aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família. (1Tm 5:4)

   Sem dúvida tens escutado algo como esta expressão: É um demónio em sua casa e um santo na rua. Descreve a horrível tendência de sermos bondosos e sociáveis com aqueles do mundo exterior, e não obstante, duros e cruéis em casa.
   É um defeito que não está limitado a qualquer classe de pessoas em particular. Os jovens têm de guardar-se dele. É tão fácil ser uma personalidade de televisão com os seus amigos pessoais, e apesar de tudo, ser um terror para com os seus próprios pais. Os maridos podem apresentar uma aparência encantadora para com os seus sócios de negócios, e não obstante, ao voltar a casa desaparece aquele encanto e voltam à normalidade como seres egoístas e irritáveis. Os pregadores podem ter um estilo cintilante no púlpito e uma péssima disposição no espaço familiar.
   Uma perversa propensão comum do nosso estado caído consiste em ferir aqueles que estão mais perto de nós, que se esforçam extremamente por nós, e que nos nossos melhores momentos os amamos de verdade. Ella Wheeler Wilcox escreveu:
   Uma grande verdade na vida encontrei,
Em muitos lugares pelos quais andei;
Que as únicas pessoas que realmente ferimos
São aqueles a quem mais amamos.
Adulamos aos que apenas conhecemos,
E agradamos a convidados passageiros,
Desconsiderados, muitos golpes damos
Àqueles a quem mais amamos.
   Outro poeta, fazendo eco destes sentimentos, escreveu assim:
   Ao convidado sorrimos
E ao estranho saudamos,
Mas aos nossos, ainda que os amamos,
A eles, nos mostramos amargos.

   É muito fácil ter uma religião de igreja, de reunião, de oração ou de obra cristã; mas é totalmente distinto ter uma religião diária. Mostrar piedade à nossa própria família é uma das partes mais vitais do cristianismo, porém, é muito escassa também; e não é coisa estranha encontrarmos cristãos que fazem a sua justiça diante dos homens para ser vistos por eles, mas falham infelizmente quando se trata de mostrar a sua piedade na sua própria casa. Conheci um pai de família que era tão poderoso na oração na reunião de oração semanal e tão impressionante ao exortar, que toda a Igreja era edificada com a sua piedade. Não obstante, ao voltar para o seu lar, depois das reuniões era tão tosco e detestável, que a sua esposa e a sua família temiam pronunciar uma palavra na sua presença (H. W. Smith).

   Samuel Johnson dizia: Todo o animal vinga as suas dores sobre aqueles que estão perto. O homem deve evitar esta tendência natural.

   O verdadeiro indicador do nosso carácter cristão não é o que somos em público, mas o que somos em nossa casa.

Sem comentários: