… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 20 de janeiro de 2018

E nunca mais me lembrarei dos seus pecados e transgressões. (Hb 10:17)



E nunca mais me lembrarei dos seus pecados e transgressões. (Hb 10:17)

   Uma das verdades contidas na Escritura que mais satisfazem a alma é a disposição de Deus para esquecer todos os pecados que foram cobertos pelo sangue de Cristo.

   Enchemo-nos de assombro quando lemos: Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões. (Sl 103:12) É uma maravilha que possamos dizer com Ezequias: lançaste para trás das Tuas costas todos os meus pecados. (Is 38:17) Todo o nosso ser se sobressalta quando escutamos o Senhor que nos diz: Eu desfiz como uma nuvem as tuas rebeliões, e como névoa os teus pecados (Is 44:22). Mas ainda é mais maravilhoso ler: porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados. (Jr 31:34).

   Quando confessamos os nossos pecados, Deus não somente nos perdoa, mas também os esquece instantaneamente. Não é exagerado dizer que o Salvador sepulta imediatamente os nossos pecados no mar do Seu esquecimento. Isto ilustra-se bem com a experiência de um crente que tinha um renhido combate contra um pecado que o dominava. Num momento de debilidade, rendeu-se à tentação. Apressando-se a entrar na presença do Senhor, deixou escapar estas palavras: Senhor, tenho-o feito uma vez mais. Em seguida imaginou que o Senhor lhe dizia, O que é o que tens feito uma vez mais? O assunto é que numa fracção de segundo, depois da confissão, Deus já o tinha esquecido.

   É todo um paradoxo cativante que o Deus omnisciente possa esquecer. Por uma parte, nada escapa ao Seu conhecimento. Conta as estrelas e nomeia-as, enumera as nossas quedas e lágrimas. Determina quando um pardal cai em terra, e sabe quantos são os cabelos da nossa cabeça. Mas, apesar de tudo, esquece os pecados que confessamos e abandonamos. David Seamands (1922 - 31 de julho de 2006) dizia: Eu não sei como a omnisciência divina pode esquecer, mas sei que o faz.

   Um pormenor mais! Tem-se dito muito bem que quando Deus perdoa e esquece, coloca um letreiro que diz: Reserva de pesca. Para mim é proibido pescar os meus próprios pecados passados ou os pecados de outrem que Deus já esqueceu. A este respeito devemos ter uma memória pobre e uma boa capacidade para esquecer.
William MacDonald

Sem comentários: