… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Não peço que os tires do mundo; e, sim, que os guardes do mal. Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade. (Jo 17:15, 17)


Não peço que os tires do mundo; e, sim, que os guardes do mal. Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade. (Jo 17:15, 17)

     A cristandade como um todo não passa de um punhado de gente, pessoas que devem estar dispostas a sofrer e a suportar mais do que todos os outros homens a dor resultante da ação do Diabo e do mundo. Diante disso, quem seria capaz de sentir, perceber ou concluir que eles estão justificados diante de Deus. Certamente, cérebro algum será capaz de fazê-lo. Isto precisa de ser anunciado pelo Espírito Santo, o que é chamado Espírito da Verdade porque contra tais aparências e sentimentos Ele fortalece e preserva os corações na fé. Se não fosse assim, jamais alguém teria acreditado ou ainda viria a crer que esse Jesus Cristo é verdadeiro Deus, assentado à direita do Pai nos Céus, que também foi crucificado vergonhosamente como ladrão pelo seu próprio povo. Ou, então, como poderíamos dizer de nós mesmos, com certeza que nós (aqueles que crêem neste Cristo crucificado), pessoas condenadas e amaldiçoadas por todo mundo, sentenciadas à morte como inimigos de Deus e amigos do Diabo, somos, de facto, filhos amados de Deus e santos? Pois é algo que nós mesmos não sentimos, e nosso coração nos diz bem o contrário, uma vez que ainda somos tão fracos e pecaminosos. No entanto, é obra e poder do Espírito Santo – o Espírito que confirma isso nos nossos corações – que podemos aceitar por verdade o que a Palavra nos diz, e que podemos viver e morrer nessa certeza.

Martinho Lutero

Sem comentários: