… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 30 de abril de 2017

O Deus que paga juros! - Episódio entre George Müller e C. H. Spurgeon


O Deus Que Paga Juros!

Episódio entre 
George Müller e C. H. Spurgeon


O evangelista Spurgeon foi em certa ocasião a Bristol para pregar em três capelas da Igreja Baptista, esperando obter nas colectas trezentas libras de que necessitava com urgência para o seu orfanato de Londres as colectas renderam essa quantia.

À noite, quando recolhia à cama, Spurgeon ouviu uma voz na sua consciência, que para ele era a voz do Senhor, e lhe dizia: "Dá essas trezentas libras a George Müller».

«Mas, Senhor», respondeu Spurgeon, «eu preciso do dinheiro para os queridos pequenos do orfanato de Londres».

Mais uma vez a mesma voz: «Dá as trezentas libras a George Müller».

Só quando ele respondeu: «Sim, Senhor, levarei o dinheiro a George Müller», é que conseguiu adormecer.

Na manhã seguinte dirigiu-se ao orfanato de Mueller e encontrou-o de joelhos, orando, em frente duma Bíblia aberta.

O célebre pregador pondo a mão sobre o ombro do outro, disse: «George, Deus mandou-me entregar-te este dinheiro».

«Oh!», exclamou Müller, «querido Spurgeon, eu estava a pedir ao Senhor precisamente esta importância!»

Os dois homens de oração alegraram-se muito.

Quando Spurgeon voltou para Londres encontrou uma carta sobre a sua secretária. Abriu-a e verificou que ela continha trezentos guinéus (um guinéu é uma libra e um Shilling). «Cá está:» exclamou ele com regozijo, «0 Senhor devolveu-me as minhas trezentas libras com um juro de trezentos shillings».

In “The Sunday School Times”, 1946

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: