… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 29 de junho de 2017

“E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lc 23:42)



“E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lc 23:42)
      No jardim, Jesus foi consolado por um anjo. Aqui, na cruz, o consolo vem de um malfeitor pendurado a Seu lado. Este é um Deus maravilhoso, que faz com que seu Filho seja consolado por um malfeitor. O malfeitor deve ter enxergado através do corpo de Cristo, através da desonra, da zombaria e do sofrimento, pois, do contrário, não teria podido crer nem confessar que Cristo era o Senhor e tinha um reino poderoso. E assim, Cristo passou pelo inferno e começa a ter consolo no malfeitor. Deus não permite que a Sua igreja morra. Por isso se diz com toda razão: A fé que morreu em Pedro, ressuscitou no malfeitor. Porque esta palavra tem de ficar de pé; “Domine entre os seus inimigos”. Então, Cristo lembra-Se: Apesar de tudo, tenho um Deus gracioso, que me preparou um reino e permite que o pecador desfrute do meu sofrimento. Por isso diz ao malfeitor: “Hoje tu estarás Comigo no paraíso”. O malfeitor reconhece a sua culpa e a inocência de Cristo. Por isso conclui: A inocência de Cristo vai-me ajudar. E através de uma parede bem grossa ele consegue enxergar o coração de Cristo. O malfeitor é um dos nossos e somos semelhantes a ele. Por isso, invoquemos a Cristo e Ele responder-nos-á: Sim, sim, exatamente como ao malfeitor.

Martinho Lutero

In Meditações de Lutero, Castelo Forte - 1983


Sem comentários: